px acessibilidade mapa do site contactos pesquisa área de entidades copyright       
px
px Delegação px Noticias px Eventos px Entidades px Museu px Formulários px FAQ px Hiperligações px Procedimentos Concursais Comuns px Contratação Pública px
px
px
Distrito de Leiria   Distrito de Coimbra   Distrito de Coimbra (2)   Distrito de Viseu   Distrito de Aveiro   Distrito de Aveiro (2)
px

Distrito de Lisboa > Concelho de Lisboa >
Seminário “Turismo e Património Cultural: Tecnologia e Inovação”

 Seminário “Turismo e Património Cultural: Tecnologia e Inovação” px
6/9/2017 a 29/9/2017
28 e 29 Setembro 2017

Séculos de história são reflectidos no Património Cultural Material e Imaterial, marcas indeléveis de um território e do seu povo, nas suas múltiplas manifestações. Uma constatação do senso comum, mas fortemente alavancada, ao longo das últimas décadas, sob os efeitos da globalização, preponderante no “romper” das fronteiras do território. A informação veiculada através das tecnologias da informação tornou-se um instrumento essencial para a identificação dos destinos turísticos. Fontes de carácter mais ou menos formal, a imprensa de referência, os entusiastas pelas viagens, vulgo “bloggers de viagens”, destacam destinos de eleição, experiências irrepetíveis que colocam muitos lugares do mundo no topo das preferências dos rankings da especialidade.
A utilização das tecnologias da informação assume um papel essencial, não só enquanto instrumento de divulgação, mas também enquanto uma ferramenta que permite inovar no relacionamento com os consumidores, incrementando a experiência de fruição, mais ou menos turística, e não raras vezes descrita como única. Nas cidades, nos monumentos, nos museus, nos lugares, são cada vez mais frequentes as soluções de carácter tecnológico ao dispor de todos os que procuram conhecer em detalhe, experimentar com os 5 sentidos.
A experiência é quanto mais gratificante em função da sua preparação e desenvolvimento e, também aí, as tecnologias da informação assumem particular destaque. A gestão da oferta Patrimonial e Turística, no seu sentido mais restrito, operacional até, e a gestão da informação constituem elementos essenciais e basilares de uma realidade que se pretende integrada, sob pena de não ser verdadeiramente eficaz nos seus propósitos.
Com esta iniciativa, pretendemos contribuir para uma reflexão sobre a aplicação das tecnologias de informação e comunicação como alavanca de inovação no domínio do Património Cultural e do Turismo, numa perspectiva integradora. Propomos, assim, uma reflexão sobre o “estado da arte”, a apresentação de boas práticas ao nível da gestão, das experiências culturais e turísticas e do marketing e da comunicação, que possa contribuir para a identificação de oportunidades e a dinamização de projectos.

Painel I – Turismo e Património Cultural: tecnologia e inovação. Estado da Arte
Painel II – Tecnologia e Inovação aplicadas à Gestão nas instituições Culturais e Turísticas
Painel III – Tecnologia e Inovação aplicadas às Experiências Culturais e Turísticas
Painel IV – Tecnologia e Inovação aplicadas ao Marketing e Comunicação dos Agentes Culturais e Turísticos

Uma iniciativa Pporto.pt e VERdeNOVO

Condições de participação:
A participação no Seminário “Turismo e Património Cultural: Tecnologia e Inovação” implica o pagamento de 50,00 euros e inclui a participação em todas as sessões do Seminário, certificado de participação e coffee breaks. Este valor inclui o IVA à taxa legal em vigor.

Para mais informações: premelgado@pportodosmuseus.pt
Programa (em actualização): https://goo.gl/aYvPGg

Local

Auditório do Museu da Farmácia, Lisboa

Outras informações

pportodosmuseus
Email: premelgado@pportodosmuseus.pt
Tel. 351 912 396 448
____________________________________________
Museu da Farmácia
Rua Marechal Saldanha, 1
1249-069 Lisboa

Acessos
Autocarros: 100 e 58 (Praça Luís de Camões)
Elétricos: 28, Elevador da Bica
Metro: Baixa/Chiado
Estacionamento: Parques da Calçada do Combro e Largo de Camões (pagos)

Áreas

 

* A informação aqui apresentada foi disponibilizada pelas Câmaras Municipais e/ou agentes culturais. A DRCC declina a responsabilidade sobre qualquer erro e/ou omissão.